SUCULENTAS RARAS

Uma das suculentas raras, que vamos te mostrar é a Othonna capensis ‘Colar de Rubi’ é um belo exemplo de planta pendente, de crescimento rápido e vigoroso, bastante ornamental. O nome popular faz alusão à coloração púrpura avermelhada do caule desta suculenta, que se torna mais acentuada quando a planta é cultivada sob elevados níveis de luminosidade. As folhas em tom de verde jade contrastam com o colar de rubi. Elas apresentam o formato de um zeppelin, distribuindo-se alternadamente ao longo de todo o caule e podem se tornar avermelhadas com o sol. Para completar esta interessante paleta de cores, as flores surgem em um amarelo brilhante, como pequenas margaridas, no topo de hastes também na coloração púrpura, como o caule.


Cuidar da suculenta colar de rubi é bastante tranquilo. Quanto à luminosidade, trata-se de uma planta que pode tolerar sol pleno, mas deve ser protegida por uma tela de sombreamento durante os dias mais quentes do verão. Alternativamente, a Othonna capensis também pode ser cultivada em interiores, casas e apartamentos, desde que receba luz indireta em níveis adequados. Um local próximo a uma janela ensolarada, face norte, leste ou oeste, é suficiente para garantir um bom desenvolvimento do colar de rubi. Como ocorre com toda planta suculenta, o colar de rubi tende a ficar estiolado se cultivado em locais muito sombreados. Isto significa que seu caule vai crescer aceleradamente, ficando mais fino e comprido, com um grande espaço entre as folhas. A planta adquire este padrão anormal de crescimento em busca de mais luz

PEQUENA JOIA

Mais uma suculenta rara é a Pachyphytum compactum ‘Pequena Jóia ,
A coisa que torna esta pequena suculenta tão bonita é a veia fina perto da superfície das folhas. As linhas retas e padrões de ramificação perfeitamente emular uma jóia facetada!

Conhecida como planta-jóia e pedra-preciosa. É uma espécie de planta originária do México, e que chama a atenção de colecionadores por suas folhas multifacetadas, como se tivessem sido lapidadas igual uma pedra preciosa.

Trata-se de uma suculenta pertencente à família Crassulaceae, cuja principal característica é a formação de densas rosetas compostas por folhas alongadas, cilíndricas e com as extremidades em ogivas, como pequenos zeppelins.

Estas estruturas suculentas são densamente imbricadas e lembram cristais multifacetados. A impressão que se tem é que foram lapidadas individualmente, como diamantes.

As cores e formas variam do verde claro ao acinzentado, com pontas avermelhadas, mas podem mudar de acordo com a cultivar e com as intempéries, tendendo a ser mais verdes e alongadas sob meia sombra e mais coloridas e compactas sob sol pleno, frio e estiagem.


Como muitas suculentas, a planta diamante não tolera encharcamentos, que levam ao rápido apodrecimento das raízes, assim, evite utilizá-las em terrários sem drenagem ou com pratos sob os vasinhos.
Não resiste bem ao frio intenso por tempo muito prolongado. Evidencia cores, formas e contrastes mais vibrantes quanto exposta ao sol, estiagem e frio.
Sua multiplicação é feita facilmente por estaquia das folhas, além da separação das novas rosetas que se forma entorno da planta mãe.
Deixe as folhas e rosetas novas para cicatrizar por 24 horas na sombra antes do plantio.


Ariocarpus trigonus, Living Rock Cactus

Existem apenas 8 espécies diferentes no gênero Ariocarpus . Todos os 8 parecem alienígenas. Eles não são realmente cactos, mas eu posso ver de onde vem a confusão.

Eles amadurecem lentamente, mas eventualmente florescem com uma linda coroa de flores brancas que circundam toda a planta.


Gymnocalycium mihanovichii , Purple Moon Cactus

É um gênero botânico pertencente à família Aloaceae. São nativas do continente africano. O gênero é composto de 70 a 90 espécies, algumas com várias subespécies. As plantas possuem folhas grossas, duras, firmes e carnudas preenchidas com uma gelatina translucida e formam uma roseta. Algumas espécies têm folhas macias e com coloração verde semi-translúcido. Eles variam muito em tamanho, cor (geralmente verde, mas às vezes marrom) e forma. As folhas são padronizada e muito atraentes. É possivel encontrar variações nas folhas dentro da mesma espécie. O florescimento ocorre a partir da primavera até o outuno. As flores são pequenas, brancas e em forma de sino em hastes longas muito semelhantes entre as espécies. São plantas fáceis de cultivar. Gostam de sol, desde que a planta nao esteja sob o sol direto do verão. São mais tolerantes às baixas temperaturas do inverno. O solo deve ser poroso, rico em nutrientes e matéria-orgânica e com boa drenagem. Respondem muito bem à adubação foliar. Gostam de água no verão, mas não toleram no inverno, morrem com facilidade. A reprodução acontece por sementes ou plantio de mudas laterais (Ver artigo Propagação de Suculentas). Geralmente, há uma confusão entre as espécies Haworthia fasciata e H. attenuata, sendo que, o feixe de folhas da H. fasciata é mais claro, sem manchas ou aspereza, as folhas são mais curtas, grossas e retas.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *